Fazendo Perfis no Google Earth

Olá pessoal,

 
Acho que boa parte de vocês sabem que, a qualquer momento, um geólogo pode precisar de um perfil altimétrico de determinada região. Embora, nem todo mundo saiba que uma das saídas mais recentes, e pouco conhecidas, é utilizar o Google Earth para isso.

Essa semana, aprendemos com o Professor Ricardo Farias, na aula de Sistema de Informações Geográficas (SIG), como fazer perfis altimétricos (relevo de superfície) e batimétricos (relevo submarino) utilizando esse software livre. Esses recursos estão disponíveis no programa desde a versão 5.0 e quase ninguém ouviu falar sobre eles. 

Vou mostrar pra vocês o passo a passo de como fazer isso.



Perfil Altimétrico
  1.  Abra o programa e direcione para a área que se deseja analisar; 
  2. Na Barra de Ferramentas acione “Adicionar Caminho” (4º botão da esquerda); 
  3. Vai aparecer uma janela de Propriedades. Dê um nome ao seu projeto (por exemplo, Caicó-Natal). Na aba Altitude, selecione “Altitude presa ao solo”; 
  4. Com a janela de propriedades ainda aberta, vá clicando nos pontos por onde você quer que seu perfil passe. Se for uma linha reta, basta colocar o primeiro e o último. Se for seguir em mais de uma direção, vá clicando. Dê OK;
  5. Na aba Lugares, dentro da Barra Lateral, e selecione o caminho que você criou. Clique com o botão direito em cima do nome do projeto e depois clique em “Mostrar Perfil de Elevação”. Abrirá uma janela na parte de baixo da imagem com o perfil altimétrico da região selecionada.


Perfil Batimétrico
  
  1. Siga o passo a passo anterior até o item 3. No exemplo, fizemos da costa de Natal/RN até Serra Leoa, na África;
  2. Dentro da janela de Propriedades, na aba Altitude selecione “Altitude Presa ao fundo do Mar’’; 
  3. Os outros passos são iguais ao do exemplo anterior.



Obs.1: Para saber de que parte do mapa se trata determinada feição topográfica, basta passar o cursor por cima do perfil, aparecerá uma seta vermelha identificando a região.

Obs.2: Observe que no perfil batimétrico, haverá topografia com valores negativos. Essas informações são referentes ao relevo do fundo do mar. Nesse caso, o ‘zero’ será a superfície da lâmina de água.



Espero que vocês tenham gostado e que utilizem bastante. E não esqueçam que comentários, são muito bem vindos. =)


Ah, quem quiser, pode nos ajudar respondendo:

  • Como o Google Earth calcula o relevo (altimetria) continental? Detalhes, precisão, referências, etc.

  • Como o Google Earth calcula o relevo (batimetria) submarino?


Agradecimentos ao Professor Ricardo.

13 comentários:

Anônimo disse...

Vai ajudar quem faltou esta aula! kkkkkk Muito bom o blog, tão de parab´nes... Qualquer coisa, to aqui pra ajudar o/

Ariane F.

Kinhu disse...

Obrigado Ariane! Uma ajuda sempre é bem-vinda :)

Mattheus disse...

xDDDDDD Ficou massa o blog !!! Show de bola!!! Parabéns pela iniciativa!!!

Ana Karoliny disse...

Parabéns, pessoal!!!
Uma ótima, e essencial, iniciativa a de vocês...
:)
Ana Karoliny A.

Isa Rosselyne disse...

Obrigada pessoal. Contribuam vcs tbm... toda informação é bem vinda... =)

tinha disse...

Ficou muito bom mesmo! Parabéns! Sou da UFC

Anônimo disse...

Muito boa a ideia. Mas para corrigir o exagero vertical o q se faz??

Aerson disse...

O Google dá um gráfico das cotas topográficas. Para "corrigir" o exagero vertical, você deve reconstruir os dados da cota topográfica em um mapa. Escala é a palavra-chave.

Saudações da UFC.

Adoreii faz tempo que queria saber sobre isso, agora tem como salvar a imagem do corte em jpg ou exportar para o autocad ou sketchup? preciso fazer 3 cortes num bairro :D

Anônimo disse...

Voce me salvou muito bom o material bem pratica a explicação.

Tomas disse...

sabe como fazer pra arrumar a escala vertical do perfil? para visualizar ele sem exagero vertical?

obrigado

Paulo Brasilis disse...

show. viajo muito e esta ferramente é otina para acrescentar informaçãoes valiosas. obrigado pelo tutorial.

Anônimo disse...

Amei