A morte do Calcário


Vanderlei Antônio de Araújo
Calcário depois de tomar uma injeção pneumatolítica com o doutor Granito, e pra lá de escarnítico, foi até o bar do Senhor Xisto.  Lá chegando encheu a cara. Depois de umas doses de Ácido Carbônico e HCl, e já fervendo, beijou a feia ardósia, dançou xote com a prima marga, sambou um pagode com a mana dolomita e ainda valsou com a irmã do quartzito.
Depois da meia noite, e já avançando pela madrugada, Calcário que alimentava o sonho de se casar a todo custo com a bela Gipsita, conhecida pelas suas inclusões perfeitas e porte monoclínico, teve a audaciosa e carbonatada idéia de fugir com ela. Assim, enquanto todos assistiam ao show da dupla Ritmito e Varvito, Calcário depois de convencer Gipsita a fugir com ele, pagou a conta, transpurrou a porta do bar, pôs os pés na estrada e bandado levou aquela patricinha metida a Aragonita, filha do senhor Evaporito Marinho e Dona Silvita, para bem longe dali.
 A noticia rapidamente se espalhou por toda a vila Estratigráfica. Ao tomar conhecimento do ocorrido o Sr. Anidrita que adora uma cristalização e precipitação saiu correndo e foi à casa de seu irmão Evaporito Marinho sedimentar a fofoca. Ao saber da quimiogênica fuga dos dois precipitados químicos, Evaporito Marinho ficou muito dômico de raiva e fraturado da vida. Foi um verdadeiro terremoto aquela revelação biaxial negativa, principalmente, porque ele não entendia como sua filha gipsita se ligara a um sujeitinho tão ortorrômbico e cárstico como aquele. Ele, que um dia chegou a pensar que ela fosse a paragênese mineral mais singular que tivera em milhões de anos.
Imediatamente foi até seu quarto pegou sua sigmóide dextral e a municiou com granadas miúdas e pisólitos. Depois, foi ao bordel de madame Biotita e lá convocou os mais destemidos e granoblásticos máficos da vila. Logo de cara convidou o desidratado e hipertérmico Granulito, o ígneo Gabronorito e o granadeiro Gondito para acompanhá-lo na busca aos fugitivos. E ainda de quebra, levou o hipabissal Diabásio. Finalmente para juntar-se ao grupo chamou o perigoso e migmatítico Granodiorito.
Enlouquecido e furioso o Sr. Evaporito Marinho, com uma clivagem de força cada vez mais definida e cisalhante, acompanhado pelo seu batalhão de máficos, metamorfisados e magmáticos, saiu ameaçando fundir e cisalhar tudo que encontrasse pela frente. Jurando vingança implacável e afirmando que quando os encontrasse descarregariam suas armas na cara de Calcário. Depois, saiu em ondulante galope e, aos berros, bradava que Calcário não valia uma mica furada, quanto mais uma amostra de pedra-sabão.
De repente, surge encravado numa falha e atravessando- lhe o caminho, um veio de quartzo leitoso que quase provocou uma trágica deformação rúptil-dúctil nos perseguidores e, por pouco não resultou numa tremenda recristalizaçã o dinâmica, atrasando em muito a busca aos dois fugitivos.
Depois de passarem dias e noites à procura dos dois amantes, eles os encontraram escondidos em uma caverna, disfarçados de travertino e alabastro. Evaporito Marinho e seus contratados descarregaram suas armas no raptor de sua filha. Deram tanto tiro que a temperatura subiu demasiadamente; Calcário caiu ao solo e morreu se esvaindo em cal virgem. Gipsita saiu chamuscada e literalmente viúva. Desgostosa entrou para uma Portland e mais tarde se casou com o cimento...

2 comentários:

Anônimo disse...

geologia é diferente de geociências, não tomem como sinônimos...

Anônimo disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkk Muito engraçado esse texto! Pior é que esse é o romance que só os geólogos entendem! Gostei muito! =D ARIANE