O Pico (Vulcão) do Cabugi

Os vulcões são eventos geológicos impressionantes que trazem informações valiosas do interior da Terra. É através deles que o magma - material rochoso fundido, contendo rocha fundida, cristais e gases – sobe até a superfície durante as famosas erupções vulcânicas. Esse material fica armazenado em câmaras magmáticas, e ascendem por meio de condutos. A partir daí são geradas as rochas vulcânicas extrusivas, de material com granulometria fina a vítrea e com estruturas típicas dessas rochas. Acompanhada das erupções sempre há explosões e emissão de partículas e poeira, variando de acordo com o tipo de magma. Lembrando que isso vai variar de acordo com o local onde o vulcão está, se em superfície ou dentro do mar.


Pico do Cabugi, neck subvulcânico no caminho de Natal para Apodi, RN


Aqui no Rio Grande do Norte, pelo fato de estarmos no interior de uma placa tectônica, não temos muitos registros de atividade vulcânica. Nos últimos anos, foram obtidas diversas idades dessas rochas, como parte de projetos de pesquisa numa cooperação entre o Programa de Pós-Graduação em Geodinâmica e Geofísica da UFRN e a Universidade de Queensland da Austrália.

Os resultados obtidos indicam que o Estado foi palco de uma série de fenômenos magmáticos, com vários picos de atividades no período entre cerca de 130 e 6 milhões de anos atrás. Vale a pena lembrar que o tempo geológico tem escala de milhões anos, bem acima da expectativa de vida dos seres humanos. Felizmente, os testemunhos de vulcões encontrados em nosso território referem-se a tipos extintos antes ou no início do surgimento da raça humana e, em particular, dos primitivos habitantes do nosso Estado.

Dentre vários exemplos de estruturas vulcânicas encontradas no RN, o Pico do Cabugi é o primeiro que vem a nossa mente em função de seu imponente relevo. Ele se destaca pela sua forma cônica, atingindo 590 m de altitude, em contraste com a planície de Lajes com cotas em torno de 170 m. O Pico do Cabugi vem sofrendo erosão nos últimos 25 milhões de anos (idade de formação das rochas que dão origem ao pico), fato este que permite apenas deslumbrarmos o conduto (também conhecido como Neck Vulcânico) por onde passava o magma.

Para mais informações sobre esse monumento geológico do RN, acesse Os Vulcões do Rio Grande do Norte e O Pico do Cabugi, Rio Grande do Norte

Foto: Gabriela Slavec

0 comentários: